sábado, 11 de setembro de 2010

Texto do filósofo Albert Camus

Caminhamos ao encontro do amor e do desejo. Não buscamos lições, nem a amarga filosofia que se exige da grandeza. Além do sol, dos beijos e dos perfumes selvagens, tudo o mais nos parece fútil. Quando a mim, não procuro estar sozinho nesse lugar. Muitas vezes estive aqui com aqueles que amava, e discernia em seus traços o claro sorriso que neles tomava a face do amor. Deixo a outros a ordem e a medida. Domina-me por completo a grande libertinagem da natureza e do mar.


Nunca conseguira arrepender-me verdadeiramente de nada.Assaltaram-me as lembranças de uma vida que já não me pertencia, mas onde encontrara as mais pobres e as mais tenazes das minhas alegrias: cheiros de verão, o bairro que eu amava, um certo céu de entardecer, o riso e os vestidos de Marie.


Respondi que nunca se muda de vida; que, em todo caso, todas se equivaliam, e que a minha, aqui, não me desagradava em absoluto.

— Não, não consigo acreditar. Tenho certeza de que já lhe ocorreu desejar uma outra vida.

Respondi-lhe que naturalmente, mas que isso era tão importante quanto desejar ser rico, nadar muito de pressa ou ter uma boca mais bem feita. Era da mesma ordem. Mas ele me deteve e quis saber como eu imaginava essa outra vida. Então gritei:

— Uma vida na qual me pudesse lembrar desta vida.


Também eu me sinto pronto a reviver tudo. Como se esta grande cólera me tivesse purificado do mal, esvaziado de esperança, diante desta noite carregada de sinais e de estrelas, eu me abria pela primeira vez à tenra indiferença do mundo. Por senti-lo tão parecido comigo, tão fraternal, enfim, senti que fora feliz e que ainda o era.

http://filosofocamus.sites.uol.com.br/

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Uma Lição de Vida de William Shakespeare


Um dia você aprende que...


Depois de algum tempo, você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que a companhia nem sempre significa segurança.

E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas. E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

Depois de um tempo, você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo.

E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam...

E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, pois ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso.

Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que se leva anos para construir confiança e apenas segundos para destrui-la.

E que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá pelo resto da vida.

Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo com longas distâncias.

E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida.

E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.

Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam.

Percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa, por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pois pode ser a última vez que as vejamos.

Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos.

Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser.

Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.

Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo, mas se você não sabe para onde está indo, qualquer caminho serve.

Aprende que ou você controla seus atos ou eles o controlarão.

E que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, já que sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário, enfrentando para isso as conseqüências.

Aprende que paciência requer muita prática.

Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a se levantar.

Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou.

Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.

Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel.

Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.

Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo.

Aprende que, com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado.

Aprende que, não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte.

Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para três.

Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.

E você aprende que realmente pode suportar, que realmente é forte e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais.

E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!

Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar, se não fosse o medo de tentar.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Fernado Pessoa

Sou um evadido.
Logo que nasci
Fecharam-me em mim,
Ah, mas eu fugi.

Se a gente se cansa
Do mesmo lugar,
Do mesmo ser
Por que não se cansar?

Minha alma procura-me
Mas eu ando a monte,
Oxalá que ela
Nunca me encontre.

Ser um é cadeia,
Ser eu é não ser.
Viverei fugindo
Mas vivo a valer.

sábado, 10 de abril de 2010

Uni, Duni, Tê

Carmen Miranda - When I Love I Love

Carmen Miranda - Disseram que voltei Americanizada

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Amar




Que pode uma criatura senão,

entre criaturas, amar?

amar e esquecer, amar e malamar,

amar, desamar, amar?

sempre, e até de olhos vidrados, amar?

Que pode, pergunto, o ser amoroso,

sozinho, em rotação universal, senão

rodar também, e amar?

amar o que o mar traz à praia,

o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha,

é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?

Amar solenemente as palmas do deserto,

o que é entrega ou adoração expectante,

e amar o inóspito, o áspero,

um vaso sem flor, um chão de ferro,

e o peito inerte, e a rua vista em sonho,

e uma ave de rapina.

Este o nosso destino: amor sem conta,

distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas,

doação ilimitada a uma completa ingratidão,

e na concha vazia do amor à procura medrosa,

paciente, de mais e mais amor.

Amar a nossa falta mesma de amor,

e na secura nossa, amar a água implícita,

e o beijo tácito, e a sede infinita.



(Carlos Drummond de Andrade)

domingo, 4 de abril de 2010

O Aquariano

CARÁTER DE AQUÁRIO- Como vem depois de Capricórnio, Aquário quer se libertar das formas inúteis e dispensa aparências externas. O nativo de Aquário é um idealista por natureza e sempre imprime às suas ações um senso de justiça, porque crê na liberdade, na igualdade e na fraternidade. É a mais alta forma de pensamento e vê tudo com uma atividade impessoal, objetiva e livre de considerações sentimentais. Aquário é o ego social, enquanto Leão, seu oposto, é o ego pessoal. Usa seu poderoso intelecto, criatividade e intuição para interesses sociais e políticos, em que possa utilizar suas habilidades de planejar e prever o futuro. É o cidadão do mundo independente, com opiniões próprias, que busca sempre se diferenciar de outras pessoas, chegando mesmo a tomar atitudes bruscas e a romper barreiras e limites quando se vê acuado. Deve equilibrar sua tendência e atitudes extremadas e à indisciplina. Porém, podemos encontrar tipos mais conservadores e tradicionais.



PROFISSÃO DE AQUÁRIO - Por ter capacidade intelectual acima da média e dotado de forte intuição, o aquariano busca profissões em que possa participar das atividades sociais, culturais, políticas ou de investigação científica e tecnológica, prevendo e planejando o porvir. Prefere atividades de caráter autônomo, sem regras, sem horários fixos ou compromissos. É um visionário, sempre voltado para o futuro e apto a desempenhar atividades de planejamento ou de pesquisa que envolvam inovação e antecipação de tendências. Ou ainda, escolhe profissões que contribuam para o desenvolvimento humano, o bem estar social, os direitos humanos ou a sustentabilidade em organizações não governamentais de 1º ou 3º setor. Profissões indicadas: cientista social, economista, tecnólogo, arquiteto, urbanista, planejador, pesquisador, político, antropólogo e astrônomo.



AMOR DE AQUÁRIO - O aquariano é talhado para o amor do tipo mais gregário do que pessoal. Prefere relações constrídas a partir da lealdade, da amizade e da convivência pacífica e fraterna, procurando cultivar o companheirismo e os interesses socioculturais comuns com seu parceiro. Costuma fugir do romantismo e de relações calcadas em fortes emoções. Nas relações íntimas, precisa de espaço e liberdade. Como atua melhor em grupo do que sozinho, dará preferência às relações que surjam e que creçam dentro de um grupo.


SAÚDE DE AQUÁRIO - Com sua forte atividade mental, Aquário tem tendência à ansiedade, ao nervosismo e dificuldade em conciliar o sono e cultivar a quietude. O signo rege a regiao das canelas, podendo vir a desenvolver varizes, erisipela, esclerose arterial e acidentes cerebrais. Recomenda-se praticar algum exercício físico.
 
A VIDA SEXUAL DE AQUÁRIO
 
O aquariano gosta de todo mundo igualmente e é difícil saber quando ele está interessado em você. Distribui atenção e gentileza sem discriminação. Para impressioná-lo, é preciso primeiro intrigá-lo. Ser diferente, de certo modo excêntrico, ter um ponto de vista original sobre algum assunto. Adora novidade e está sempre a procura de algo inusitado. Lida com sexo de modo "experimental" e está disposto a tentar de tudo! Trata seus parceiros com extrema liberdade e espera o mesmo. Não conte com demonstrações de ciúmes. Isso não o sensibiliza. Jamais faça qualquer tipo de cobrança, ele se sentirá imediatamente pressionado. Invente algo diferente, surpreenda, faça algo que ele nunca esperaria. Anti-convencional, procura pessoas que fujam do padrão. É atraído por um lado extravagante da personalidade, por detalhes que demonstrem criatividade e por opiniões polêmicas. Ao lado dele nada é monótono, rotineiro, sempre igual. A qualquer momento tudo pode revirar. O futuro é sempre incerto, o passado não existe e o presente é instável. Jamais um aquariano continua um relacionamento que já perdeu o interesse apenas por hábito ou por compaixão. Ele precisa do novo, e da liberdade para ir e vir. Seus argumentos são de tal modo lógicos que chegam a ser desconcertantes!


A mulher de Aquário é um ser difícil de agradar: faça o que quiser, acendê-la é um pouco complicado, principalmente se você não tiver imaginação o tempo todo. Ela gosta de conversar e trocar idéias; isso é que dá prazer a esta mulher. Por isso, atrai pessoas variadas e experiências igualmente diferentes. Em seu afã de encontrar algo diferente, é capaz de se meter em enrascadas e a memória delas a torna mais arredia. Aquariana é sempre uma amiga com quem você pode esquecer alguns cuidados impensáveis com outras mulheres. Se você está interessado em uma aquariana, informe-se sobre o mundo, tenha o que dizer e deixe-a comandar a transa, para que ela se sinta o mais livre possível.


Como Conquistar Aquário


Não grude, não aperte, não force, não pressione. Como um signo de Ar, Aquário precisa de muito espaço: deixe o aquariano respirar. Sua liberdade (de pensamento e de ação) é seu bem mais precioso, nem pense em tirar isso dele. Regidos por Urano, o planeta da eletricidade e das tempestades, podem ser fascinantes e imprevisíveis - nunca se sabe onde o raio vai cair.

Não é difícil se aproximar de alguém de Aquário, pois geralmente adoram conhecer pessoas - ser íntimo, entretanto, é algo do tipo missão (quase) impossível. Se você gosta de desafios e não desanima diante de algumas manobras frustradas, ótimo, mas se é daqueles que por qualquer coisa correm para o divã do analista, então você terá um problema.

Tornar-se amigo de um aquariano é um bom começo, porém não espere nenhuma deferência especial, pois tem amigos em todas as esquinas do mundo e, quem sabe, da galáxia. Algo que pode chamar sua atenção, sim, são idéias e ideais. Coisas que ele tem de sobra, mas sempre cabe mais um. A possibilidade de realizá-los e antes de tudo, conversar sobre eles com alguém pode ser muito estimulante e, acredite: Excitante, em vários sentidos. Você nem vai precisar dar corda, pois ele tem baterias próprias, e das alcalinas.

Como os ideais são sua prioridade, deduza em que posição ficam as emoções. O que não quer dizer que sejam frios, sem sentimentos, não é isso. O que acontece é que os aquarianos não sabem muito bem como se movimentar no terreno emocional. O plano das idéias e dos conceitos é seu chão e o mundo dos anjos o seu habitat natural, ambientes em que paixão, possessividade, ciúmes, ira e outras coisas de humanos são só abstração. Na verdade têm dificuldade em contatar com suas próprias emoções, das quais, muitas vezes, não têm a menor noção. Você pode ajudá-los, contribuindo para seu processo de autoconhecimento e despertar da consciência. Só não esqueça: sem pressão. Além de detestarem qualquer coisa que os prenda, sob sua aparência de racionalidade e calma, podem ser bastante estressados. E não vai ser você que vai querer levar choques de no mínimo 220 V.
Não fique chateado(a) se as técnicas habituais de sedução como aquele implacável perfume que mexe com os instintos, aquele vestido com o infalível decote ou a declaradora calça de couro justíssima não surtirem o resultado esperado. Para seduzir o ser de Aquário, o melhor é ser tão excêntrico quanto ele: seja criativo e invente alguma coisa diferente, de preferência algo meio maluco, insólito, que o surpreenda. Às vezes algo simples como uma sessão no planetário pode resultar em uma noitada inesquecível.

Positivo/Negativo de Aquário


POSITIVO:

É liberal, inteligente versátil, bom amigo e muito original. Preza demais a própria liberdade, e por isso respeita os direitos dos outros.

NEGATIVO:

É imprevisível e muitas vezes age irresponsavelmente. No amor, costuma se mostrar frio e racional ao extremo. Precisa desenvolver a afetividade.


 
Aquário (20/01 – 18/02):

1. Frase:
‘Já estou guardando grana, para construir a NOSSA bela casa lá na LUA’.

2. O que o aquariano espera de seu parceiro:
Busca um amigo e amante que seja socialmente adaptável, tenha preocupações sociais, goste de seus amigos, e não seja pegajoso. Dá muito valor à liberdade e à afinidade intelectual dentro de um relacionamento.

3. O que o aquariano diz depois do sexo:
‘Agora vamos tentar sem roupas’

4. Como irritar um aquariano:
Torne-se pessoal e íntimo. Ao encontrá-los, dê um longo abraço e fique apertando-o contra o peito, emocionado, lacrimejante. Insista para que eles liguem várias vezes por dia para posicioná-los de seus movimentos.

5. Como o aquariano reza antes de dormir:
‘Oi, Deus! Alguns dizem que você é homem Outros dizem que você é mulher. Eu digo que todos nós somos DEUS. Então, por que rezar? Vamos fazer uma festa!’

6. Por que o aquariano atravessou a rua?
Porque isso faz parte de uma experiência que trará incontáveis avanços tecnológicos no futuro.

7. Você foi assaltado e o aquariano…
‘Ah, pessoal, já que tá todo mundo bem, porque não esquecemos essa estória e vamos jogar banco imobiliário?’

8. Adesivo para o vidro do carro do aquariano:
‘Não tenho tudo que amo, mas tô pouco me lixando para posses’

9. Quantos aquarianos são necessários para trocar uma lâmpada?
Vão aparecer centenas, todos competindo para ver quem vai ser o único a trazer a luz ao mundo.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Teaser - The Adventures of The Red Airplane

Adaptation from the Erico Verissimo’s children classic book " The Adventures of The Red Airplane".

terça-feira, 9 de março de 2010

Poema de Fernando Pessoa Sobre o Tempo

Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas ... Que já têm a forma do nosso corpo ... E esquecer os nossos caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares ...

É o tempo da travessia ... E se não ousarmos fazê-la ... Teremos ficado ... para sempre ... À margem de nós mesmos...

sábado, 6 de março de 2010

Trecho de "O diário de um Mago"

Quando renunciamos aos nossos sonhos e encontramos a paz - disse ele depois de um tempo - temos um pequeno período de tranquilidade. Mas os sonhos mortos começam a apodrecer dentro de nós, e infestar todo o ambiente em que vivemos. Começamos a nos tornar cruéis com aqueles que nos cercam, e finalmente passamos a dirigir esta crueldade contra nós mesmos. Surgem as doenças e psicoses. O que queríamos evitar no combate - a decepçao e a derrota - passa a ser o único legado de nossa covardia. E, um belo dia, os sonhos mortos e apodrecidos tornam o ar difícil de respirar e passamos a desejar a morte, a morte que nos livrasse de nossas certezas, de nossas ocupaçoes, e daquela terrível paz das tardes de domingo.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Pateta no Trânsito

Os Poemas Possíveis: Química


Sublimemos, amor. Assim as flores
No jardim não morreram se o perfume
No cristal da essência se defende.
Passemos nós as provas, os ardores:
Não caldeiam instintos sem o lume
Nem o secreto aroma que rescende.

(José Saramago)

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

A Palavra Mágica

Certa palavra dorme na sombra
de um livro raro.
Como desencantá-la?
É a senha da vida
a senha do mundo.
Vou procurá-la.

Vou procurá-la a vida inteira
no mundo todo.

Se tarda o encontro, se não a encontro,
não desanimo,
procuro sempre.

Procuro sempre, e minha procura
ficará sendo
minha palavra.

(Carlos Drummond de Andrade)

Quem quer ser Piruá?

Piruás são aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, se recusam a mudar. Elas acham que não pode existir coisa mais maravilhosa do que o jeito de elas serem. Ignoram o dito de Jesus: “Quem preservar a sua vida perdê-la-á”. A sua presunção e o seu medo são a dura casca do milho que não estoura. O destino delas é triste. Vão ficar duras a vida inteira. Não vão se transformar na flor branca macia. Não vão dar alegria a ninguém. Terminado o estouro alegre da pipoca, no fundo da panela ficam os piruás, que não servem para nada. Seu destino é lixo.

Quanto às pipocas que estouraram, são adultos que voltaram a ser crianças e que sabem que a vida é uma grande brincadeira...

(Alves, Rubem, 1933. O amor que acende a lua. Campinas: Papirus, 1999. p. 59 – 64. )
FONTE: http://www.construirnoticias.com.br/asp/materia.asp?id=568

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Nem tudo é fácil

É difícil fazer alguém feliz,
Assim como é fácil fazer triste.

É difícil dizer eu te amo,
Assim como é fácil não dizer nada

É difícil valorizar um amor,
Assim como é fácil perdê-lo para sempre.

É difícil agradecer pelo dia de hoje,
Assim como é fácil viver mais um dia.

É difícil enxergar o que a vida traz de bom,
Assim como é fácil fechar os olhos e atravessar a rua.

É difícil se convencer de que se é feliz,
Assim como é fácil achar que sempre falta algo.

É difícil fazer alguém sorrir,
Assim como é fácil fazer chorar.

É difícil colocar-se no lugar de alguém,
Assim como é fácil olhar para o próprio umbigo.

Se você errou,peça desculpas...

É difícil pedir perdão?
Mas quem disse que é fácil ser perdoado?

Se alguém errou com você, perdoa-o...

É difícil perdoar?
Mas quem disse que é fácil se arrepender?

Se você sente algo, diga...

É difícil se abrir?
Mas quem disse que é fácil encontrar alguém que queira escutar?

Se alguém reclama de você, ouça...

É difícil ouvir certas coisas?
Mas quem disse que é fácil ouvir você?

Se alguém te ama, ame-o...

É difícil entregar-se?
Mas quem disse que é fácil ser feliz?

Nem tudo é fácil na vida...
Mas, com certeza, nada é impossível.

Precisamos acreditar, ter fé e lutar para que não apenas sonhemos,
Mas também tornemos todos esses desejos,realidade!!!

(Cecília Meireles)

Ser grande

Para ser grande, sê inteiro:
Nada teu exagera ou exclui. 
Sê todo em cada coisa.
Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda brilha,
Porque alta vive.

(Fernando Pessoa)

Sobre o Amor e o Sexo

O amor sonha com a pureza
sexo precisa do pecado
o amor é sonho dos solteiros
sexo é sonho dos casados



(Arnaldo Jabor)

Alma perdida

Toda esta noite o rouxinol chorou,
Gemeu, rezou, gritou perdidamente!
Alma de rouxinol, alma da gente,
Tu és, talvez, alguém que se finou!

Tu és, talvez, um sonho que passou,
Que se fundiu na Dor, suavemente…
Talvez sejas a alma, a alma doente
Dalguém que quis amar e nunca amou!

Toda a noite choraste… e eu chorei
Talvez porque, ao ouvir-te, adivinhei
Que ninguém é mais triste do que nós!

Contaste tanta coisa à noite calma,
Que eu pensei que tu eras a minh’alma
Que chorasse perdida em tua voz!…



(Florbela Espanca)

Canção do Sonho Acabado

Já tive a rosa do amor
- rubra rosa, sem pudor.
Cobicei, cheirei, colhi.
Mas ela despetalou
E outra igual, nunca mais vi.
Já vivi mil aventuras,
Me embriaguei de alegria!
Mas os risos da ventura,
No limiar da loucura,
Se tornaram fantasia…
Já almejei felicidade,
Mãos dadas, fraternidade,
Um ideal sem fronteiras
- utopia! Voou ligeira,
Nas asas da liberdade.
Desejei viver. Demais!
Segurar a juventude,
Prender o tempo na mão,
Plantar o lírio da paz!
Mas nem mesmo isto eu pude:
Tentei, porém nada fiz…
Muito, da vida, eu já quis.
Já quis… mas não quero mais…

(Cecília Meireles)

Dualismo

Não és bom, nem és mau: és triste e humano...
Vives ansiando, em maldições e preces,
Como se, a arder, no coração tivesses
O tumulto e o clamor de um largo oceano.

Pobre, no bem como no mal, padeces;
E, rolando num vórtice vesano,
Oscilas entre a crença e o desengano,
Entre esperanças e desinteresses.

Capaz de horrores e de ações sublimes,
Não ficas das virtudes satisfeito,
Nem te arrependes, infeliz, dos crimes:

E, no perpétuo ideal que te devora,
Residem juntamente no teu peito
Um demônio que ruge e um deus que chora.



(Olavo Bilac)

Inconstância

Procurei o amor, que me mentiu.
Pedi à Vida mais do que ela dava;
Eterna sonhadora edificava
Meu castelo de luz que me caiu!

Tanto clarão nas trevas refulgiu,
E tanto beijo a boca me queimava!
E era o sol que os longes deslumbrava
Igual a tanto sol que me fugiu!

Passei a vida a amar e a esquecer...
Atrás do sol dum dia outro a aquecer
As brumas dos atalhos por onde ando...

E este amor que assim me vai fugindo
É igual a outro amor que vai surgindo,
Que há-de partir também... nem eu sei quando...
(Florbela Espanca)

Memórias de Emília

Emília
- A vida da gente, senhor Visconde, é um pisca-pisca. A gente nasce, isto é, começa a piscar. Quem pára, chegou ao fim, morreu. Piscar é abrir e fechar os olhos – viver é isso. É um dorme-e-acorda, dorme-e-acorda, até que dorme e não acorda mais.

[...]

A vida das gentes neste mundo, senhor sabugo, é isso. Um rosário de piscadas. Cada pisco é um dia.
Pisca e mama;
pisca e anda;
pisca e brinca;
pisca e estuda;
pisca e ama;
pisca e cria filhos;
pisca e geme os reumatismos;
por fim pisca pela última vez e morre.

- E depois que morre? – perguntou Visconde.

- Depois que morre vira hipótese. É ou não é?

Monteiro Lobato

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Amor e Sexo nas palavras de Arnaldo Jabor

O amor tem jardim, cerca, projeto. [...] O amor depende de nosso desejo, é uma construção que criamos. Sexo não depende de nosso desejo; nosso desejo é que é tomado por ele. Ninguém se masturba por amor. Ninguém sofre de tesão. O sexo é um desejo de apaziguar o amor. O amor é uma espécie de gratidão posteriori pelos prazeres do sexo.

O amor vem depois, o sexo vem antes. No amor, perdemos a cabeça, deliberadamente. No sexo, a cabeça nos perde. O amor precisa do pensamento.

[...] O amor sonha com uma grande redenção. [...] O amor é um desejo de atingir a plenitude. [...] O amor vive da impossibilidade sempre deslizante para a frente. O sexo é um desejo de acabar com a impossibilidade.

Fernando Pessoa

Resolvi começar a semana publicando um texto de Fernando Pessoa que, como sempre, oferece uma lição para reflexão.


Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final...

Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.

Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.

Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?

Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu....


Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seus amigos, seus filhos, seus irmãos, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.

Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.

O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.

As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora...

Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.

Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração... e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.

Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.

Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.

Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.

Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do "momento ideal".

Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará!

Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.

Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.

Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.

Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é. Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu próprio, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és..

E lembra-te :

Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão

AMOR QUE NOS TRÁS FELICIDADE E PAZ

Psicologia Infanto-Juvenil

Vamos ver sobre o ângulo de porque algumas pessoas depois da conquista desistem do conquistado.

O que vamos falar acontece com algumas pessoas, tendo a origem no inicio da vida do bebê e tem a ver com o balanceamento entre os afetos e cuidados corporais fornecidos pela mãe. Sabe-se hoje que se esse balanceamento não for adequado pode na vida adulta originar o medo da intimidade, tendo como conseqüência o comportamento de conquista e abandono.

Há um elemento nas relações amorosas que devem ser analisadas, pois podem determinar os estabelecimentos de uma parceria. O queremos considerar é a idéia de “conquista”. Nesse caso, a aproximação amorosa teria seu desfecho quando uma das partes se revelasse tão apaixonada que nada mais poderia negar ao amado. Estaria então realizada a conquista e o desvalorizado objeto de amor, agora à mercê do vitorioso, já pode ser abandonado.

É a isso que damos o nome de conquista. Tem muito a ver com paciência, auto-afirmação e vingança do que com ternura e afeto. Mas a conquista é impossível na ausência absoluta do afeto. Então, o que em geral mais encontramos é a mistura de desejo pelo outro com o prazer do triunfo. Como ocorre bastante, um olhar penetrante na infância nos guiará no labirinto dos sentimentos que constituem o amor.

Podemos destacar dois aspectos polares - conquista e aproximação mutua – de uma mistura complexa que é a atração erótica.

Na primeira etapa da vida o amor erótico vai surgindo e se consolidando no recebimento de ternura, leite cuidados físicos e carinho. Mais adiante, tendo já a criança adquirida uma inicial capacidade de discernimento, sente a mãe como conquistada; é uma mãe que pode ser manipulada para fornecer bens que, apesar da resistência materna, a criança deseja.

Quer se referir neste caso a objetos aos qual a criança só tem acesso pela mãe, como roupa e guloseimas. Ela experimenta um poder sobre a mãe ao vencer sua relutância em fornecer tais objetos. Esse é o componente de conquista do amor infantil.

A mãe sabe exercer uma intimidade carinhosa, sabe trocar afetos e atender com critério a parte das demandas matérias do filho, estará preparando um filho capaz de lidar com os contraditórios sentimentos da relação amorosa.

Mães insensíveis, que não percebem as demandas de afeto do filho, mas atendem aos seus pedidos matérias, poderão construir uma conjuntura na qual a rejeição de intimidade com a conseqüente incompreensão afetiva convive com o sentimento de capacidade de a criança provocar comportamentos objetivos e obter artefatos. Para não se sentir rejeitada, a criança evita pedir afeto, concentrando-se naquilo que obtém pelo controle e manipulação da mãe, com comportamentos objetivos e objetos matérias. A criança desiste da mãe afetiva.

Transportando isso para a idade adulta resulta em uma pessoa que conquista e repudia, usufruindo o parceiro por um tempo e abandonando-o antes que se concretizem os temores de se sentir incompreendido.

A relação de afeto fica ofuscada pelas demandas objetivas e materiais. È próprio das necessidades matérias exigirem a toda hora novos objetos. E o parceiro, transformando em objeto, é trocado por outro antes manifeste o seu presumindo comportamento de instabilidade.

A relação se alicerça então na denominação, e não na compreensão.

As dosagens de mutualidade e conquista erótica em relação dependem de como experiências passadas forma elaboradas e transformadas em modos de vinculação. O aspecto conquista poderá ter menos força que o aspecto compreensão. A relação poderá então se manter por tempo suficiente para que a experiência presente corrija as distorções do passado. O reconhecimento do uso da conquista como defesa contra a frustrante sensação de falta de intimidade facilitará a preservação e o desenvolvimento das relações.

Texto baseado em estudo do psicanalista Nahman Armony

Fonte: http://www.jctorres.com.br/saude%20e%20bem%20estar.html

Carta a Charlotte Payne-Townshend

Esta carta foi escrita, por Bernard Shaw, para sua futura esposa e me faz lembrar que o mais importante não é o destino,- Destino, finitude... o fim pode chegar a qualquer momento.- e, sim, curtir o percurso.


[...] Não: você não me ama nem um pouquinho. Tudo isso é natureza, instinto, sexo: não prova nada mais que isso. Não se apaixone: seja você, própria, nem minha nem de ninguém. A partir do momento em que não puder ficar sem mim você estará perdida [...]. Nunca tema: se nos queremos de verdade, acabaremos descobrindo. Só sei que você tornou o outono muito feliz e que sempre vou gostar de você por isso. Com o futuro não me preocupo: façamos o que está em nossas mãos & aguardemos os acontecimentos. Minha queridíssima!

G.B.S.

(O Teatro das Idéias de Bernard Shaw)

O doce sabor da ilusão

Ao longo desses anos em silêncio, minhas meditações casuais sobre a vida ensinaram-me: as pessoas têm medo de perder suas ilusões (...) Eu não tinha mais ilusões. Por isso mesmo, não tinha medo. A serenidade explicava-se, mesmo que os olhos cada vez mais raros e surpresos dos outros não conseguissem entendê-la. Paciência. De minha parte, tarefas cumpridas. Descansar. Espatifada a capacidade de crer na menor ilusão. É importante que um homem as tenha, as ilusões: deixe as pessoas com algumas poucas ilusões e você será feliz. Guarde uma ou duas para si por precaução, e não as mostre, assim, para qualquer um. Por mim, estou livre delas. Não as tenho mais e não as quero novamente.

Do livro de Marcos Lacerda "Um Estranho em Mim."

Angústia de Viver

Toda a gente forceja por criar uma atmosfera que a arranque à vida e à morte. O sonho e a dor revestem-se de pedra, a vida consciente é grotesca, a outra está assolapada. Remoem hoje, amanhã, sempre, as mesmas palavras vulgares, para não pronunciarem as palavras definitivas. E, como a existência é monótona, o tempo chega para tudo, o tempo dura séculos

Raul Brandão

O doce sabor da ilusão

Ao longo desses anos em silêncio, minhas meditações casuais sobre a vida ensinaram-me: as pessoas têm medo de perder suas ilusões (...) Eu não tinha mais ilusões. Por isso mesmo, não tinha medo. A serenidade explicava-se, mesmo que os olhos cada vez mais raros e surpresos dos outros não conseguissem entendê-la. Paciência. De minha parte, tarefas cumpridas. Descansar. Espatifada a capacidade de crer na menor ilusão. É importante que um homem as tenha, as ilusões: deixe as pessoas com algumas poucas ilusões e você será feliz. Guarde uma ou duas para si por precaução, e não as mostre, assim, para qualquer um. Por mim, estou livre delas. Não as tenho mais e não as quero novamente.

Do livro de Marcos Lacerda "Um Estranho em Mim."